27 de dez de 2010

Pensamento coletivo


Hoje mais intensivamente é evidente um grande número de organizações, grupos, projetos e coisas do gênero, no que concerne a coletividade e a união tem-se um conjunto de ideias para alcançar algo, uma causa, um manifesto, uma política, uma ideologia, enfim, vê-se que o poder coletivo é fundamental no processo de conquista da coletividade, foi assim que se estabeleceram os sindicatos reivindicado melhorias para o trabalhador, foi assim que surgiram as associações, seja ela beneficentes ou de interesses, a UNE a CUT daí suas filiais, os centros acadêmicos nas universidades, os grêmios nos colégios, os projetos comunitários filantrópicos e tantos outros no mundo afora, a igreja não fica de fora com seus projetos e campanhas de mobilização eclesiásticas e social.

Entretanto, no tempo em que estamos vivendo o interesse pessoal está no auge, isso não quer dizer que em outros tempos não esteve, pelo contrário, sempre os homens tenderam a ser individualistas, interesseiros, principalmente os que detêm riqueza, como ainda hoje há uma grande maioria passando necessidades e uma minoria abastada gastando mundos e fundos para deleites próprios,

Algumas pessoas mesmo sendo oprimidas por esse “sistema” tendem a ser individualistas, não olha o seu irmão ao lado que está passado o mesmo problema que ele passou (ou passa), não se mobiliza quanto a seu próximo e até alguns grupos que de início trabalha para o bem coletivo, entretanto com o passar do tempo acabam se corrompendo pela soberba e mudando o foco moral da causa, ou ainda, não olha (ou não querem vê) uma causa geral comum a todos, enquanto o egoísmo for mais importante a sociedade passará em desatino, frustações, dores e fomes diante de tantas riquezas e coisas boas para usufruir no mundo.

Quero aqui, com esse manifesto me ater ao projeto Alerta Jovem. Aos que vê e sente a grande necessidade dos povos, incluindo aqui os crentes e não crentes, de uma aproximação real com Deus, e uma vida com princípios éticos, bíblicos, que exalte o amor ao próximo, que amem ao Deus verdadeiro, que alimentem a paz e a verdade, assim contribuirmos fazendo aquilo que nosso mestre nos ordenou: “Ide, pregai o evangelho” e “amai-vos uns aos outros”.

Pensar coletivamente é a primeira atitude que devemos ter, pensar nos outros, juntar as mãos mesmo estando separados, unir os pensamentos, as atitudes, ter força de vontade, despir-se do preconceito de que “sou melhor” ou “ele é melhor” não! Todos nós somos imperfeitos, todos temos semelhantes e distintos modos de pensar, de andar... Quando levamos a mensagem da cruz somos diferentes, quer queiramos ou não, temos que aprender a sermos diferentes, conviver e viver sendo quem queremos ser, querendo e buscando sempre ser aquele(a) que Deus chamou para ser, vamos fazer a nossa revolução, segurar a bandeira da integridade, da ética, da moral, enfim, do bem.

Conclamo a todos, independente de sexo, faixa etária ou denominação, para pensar com a mente de Cristo, e viver como Cristo, seguir seus passos, observar suas palavras, fazer a vontade Dele, unirmos pela causa da salvação das almas e de um viver integro com propósitos para que haja êxito no projeto das nossas vidas.


9 de dez de 2010

A tecnologia e o Cristão

Século XXI, País em pleno desenvolvimento, a tecnologia deu um salto, ajudando em todas as áreas das ciências, mudando completamente toda uma geração, é o que está acontecendo hoje no Brasil.
Como o jovem cristão deve se comportar diante destas tecnologias? o seu uso é pecado? como utiliza ? Bom, não quero dar uma definição completa, do que deve ou não deve, mas quero vos fazer refletir e buscar as verdades dentro de cada um, com a palavra de Deus que está dentro de nós.

O computador, sem dúvidas é o feito mais extraordinário do século e tem ajudado a sociedade em praticamente tudo, porém, com todos os benefícios, trás também um grande perigo, pois tem-se um mundo em casa, quando está conectado à
internet ou em qualquer lugar que tenha acesso, um mundo que tem de tudo, e tão fácil, tentador! aos olhos ociosos é um poço de imundícias, propagadas por todo o mundo.

Os entretenimentos, jogos, filmes, redes sociais dentre outros, fazem bem o seu papel tirando tempo e aténção, e poluíndo as mentes com vários tipos de informações banais.

O uso computador, da
internet e suas várias ferramentas são úteis em nosso dia a dia, é necessário e importante, mas, devendo-se usar como uma ferramenta de auxílio, de apoio em trabalhos escolares, estudos de diversos assuntos, comunicão (vale aí, chats, salas de bate papo, emails, blogs etc.) informações, dentre outros, assuntos que de fato sirva na produção do conhecimento. Dificíl é não se entrenhar, ou ainda, é inevitavel, e muitas vezes sem querer, colocar os olhos nos corpos nus ou seminus feminino, que aparece inesperadamente na tela, ou um videos ou música desproporcional ao cristão, mas tem-se aí um critério de escolha, o jovem cristão tem que ter essa capacidade de rejeitar aquilo que para ele é fútil, ter o poder de controlar-se de deter-se a todo instante para não ser envolvido com as profanações propagadas.
Resumindo, a tecnologia é um bem que tão rapidamente pode se transformar em um mal.

1 de nov de 2010

Namoro ou amizade?


Oh! como é difícil arrumar uma mulher de Deus! as jovens hoje só quer escolher rapaz de cabelo liso, estilo "moicano", tocador, de calsa jeans lascada, tênis e camiseta de marca, e nem liga para os jovens que busca realmente a Deus, que mostra sinceridade no interior, lá onde ninguém vê, é Deus, até quando vou ficar nessa luta!

É assim que muitos jovens dos quais conheço indagam. conseguir um varão ou uma varoa realmente não é facíl, principalmente quando o jovem vai chegando na idade, já esperou no salmo 40 várias vezes, coitado! já foi pro 70, já voltou pro 40 e até agora nada, ao contrário daqueles que já namorou gente de tudo que é canto, Deus é Amor, Assembleia, Batista e até ímpio, (misericordia) e muitos não consegue ser feliz por muito tempo e acaba até se desviando. Mas porque os jovens cristãos têm deficiência em conseguir um companheiro que de fato se completem? porque alguns não aguentam mais esperar e partem pro tudo ou nada? Acho, ao meu ver, que os jovens deveriam ser mais francos entre si e a família em sua conversas, saber que é jovem e entender que pra ter um bom relacionamento é preciso convivência, diálogos, cautela, não olhar (tanto) a aparência mas conhecer de fato a pessoa, antes de qualquer compromisso é claro.

Escrevo este artigo pois tenho observado o declínio na fé de muitos jovens depois que se casaram ou começaram a namorar. Quero mim casar, quero ter uma família feliz servindo a Cristo, o nosso futuro depende das decisões que iremos fazer hoje, creio que Deus confirma mas, sinceramente, não creio que Deus use um (vaso) e diga é aquela ali! creio que ambos sente o afinco e oram pra Deus confirmar, buscando sempre manter a pureza e se reservando mesmo que Deus não confirme e que não dê certo, continuando ambos com a postura de servos de Deus sendo irmãos em Cristo.

Acho que os jovens deveriam se conhecer mais, orar mais, separar-se mas do mundo (não das pessoas) buscar entender a luz da bíblia o que é namoro, o noivado, o casamento e não ter medo de ser feliz, meditar sempre para não tomar decisões precipitadas e ser exemplo daquilo que Deus com grande amor constituiu na terra que é a família.
um abraço a todos.

30 de abr de 2010

12º Alerta

24 de abr de 2010

Gideões 2010

Começou ! Grande congresso dos Gideões Missionário da Última Hora. assista ao vivo.


22 de mar de 2010

Religião Doutrina e mundanismo




"A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo." Tg 1.27


Religião é a Crença na existência de força ou forças sobrenaturais. O Brasil é o País multi-religioso e o mais evangélico do mundo, e o número de evangélicos vem crescendo a cada ano segundo o IBGE. Parece ser uma bênção para nós evangélicos, entretanto uma preocupação bate a nosso consciência, é as varias formas de interpretação da bíblia, na verdade a bíblia não se contradiz, nós e quem não sabemos interpretar! Jesus disse: "Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus". A interpretação correta só acontece com a ajuda do Espírito Santo, porém muito para si acomodar, distorce, omite e inventa para poder ficar mais "a vontade" rejeitando assim as partes mais difíceis que o homem possa abster-se, como a televisão(refiro-me aos programas mundanos e depravados, que é a maioria) os jogos, as vestes inapropriadas, a vaidade e outros tantos fatores que muitos cobrem com um manto negro de escuridão tais assuntos que podem e vai influenciar na salvação. Há quem replique...mais dizer que hoje o evangelho que muitos têm seguido é correto, é equivocado. Semelhanças no agir, no falar, no vestir, nas músicas (de todos os tipos e ritmos que há no mundo), nos "Shows" dados pelos "artistas gospel" são completamente mundanos e longe está de ser bíblico.
Não quero ser como muitos, exagerados que só sabem criticar, mas a verdade nunca pode ser deixada de lado, e creio que os remanescentes escolhidos ouve a voz de Deus e estão atentos ao seu Senhor, e que são revestidos de sabedoria e justiça para prosseguir no caminho certo.

Muitas congregações são diferentes em sua liturgia e doutrina, Porém quase todas elas têm algo em comum, "visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações" Tiago 1.27 a, ou seja, ajudar aos necessitados. Pórem a parte b do capitulo 27 bem pouquíssimas congregações conseguem praticar, que é guardar-se da corrupção do mundo.

Infelizmente o mundo tem andado de braços dado com muitas igrejas, porém a palavra de Deus diz: "Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele"1Jo 2.15, e mais, "Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."

A vontade de Deus e contraria a vontade do mundo, e o Senhor nos chamou para sermos separados, e de sua exclusividade, quardado-nos de todo tipo de corrupção do mundo.


1 de mar de 2010

Seguindo a Deus de Perto

“A minha alma apega-se a ti: a tua destra me ampara” (Sl 63:8.).

O evangelho nos ensina a doutrina da graça preveniente, que significa simplesmente que, antes de um homem poder buscar a Deus, Deus tem que buscá-lo primeiro.
Para que o pecador tenha uma idéia correta a respeito de Deus, deve receber antes um toque esclarecedor em seu íntimo; que, mesmo que seja imperfeito, não deixa de ser verdadeiro, e é o que desperta nele essa fome espiritual que o leva à oração e à busca.
Procuramos a Deus porque, e somente porque, Ele primeiramente colocou em nós o anseio que nos lança nessa busca. “Ninguém pode vir a mim”, disse o Senhor Jesus, “se o Pai que me enviou não o trouxer” (Jo 6:44), e é justamente através desse trazer preveniente, que Deus tira de nós todo vestígio de mérito pelo ato de nos achegarmos a Ele. O impulso de buscar a Deus origina-se em Deus, mas a realização do impulso depende de O seguirmos de todo o coração. E durante todo o tempo em que O buscamos, já estamos em Sua mão: “... o Senhor o segura pela mão” (Sl 37:24.).
Nesse “amparo” divino e no ato humano de “apegar-se” não há contradição. Tudo provém de Deus, pois, segundo afirma Von Hügel, Deus é sempre a causa primeira. Na prática, entretanto (isto é, quando a operação prévia de Deus se combina com uma reação positiva do homem), cabe ao homem a iniciativa de buscar a Deus. De nossa parte deve haver uma participação positiva, para que essa atração divina possa produzir resultados em termos de uma experiência pessoal com Deus. Isso transparece na calorosa linguagem que expressa o sentimento pessoal do salmista no Salmo 42: “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: quando irei e me verei perante a face de Deus?” E um apelo que parte do mais profundo da alma, e qualquer coração anelante pode muito bem entendê-lo.
A doutrina da justificação pela fé — uma verdade bíblica, e uma bênção que nos liberta do legalismo estéril e de um inútil esforço próprio — em nosso tempo tem-se degenerado bastante, e muitos lhe dão uma interpretação que acaba se constituindo um obstáculo para que o homem chegue a um conhecimento verdadeiro de Deus. O milagre do novo nascimento está sendo entendido como um processo mecânico e sem vida. Parece que o exercício da fé já não abala a estrutura moral do homem, nem modifica a sua velha natureza. É como se ele pudesse aceitar a Cristo sem que, em seu coração, surgisse um genuíno amor pelo Salvador. Contudo, o homem que não tem fome nem sede de Deus pode estar salvo? No entanto, é exatamente nesse sentido que ele é orientado: conformar-se com uma transformação apenas superficial.
Os cientistas modernos perderam Deus de vista, em meio às maravilhas da criação; nós, os crentes, corremos o perigo de perdermos Deus de vista em meio às maravilhas da Sua Palavra. Andamos quase inteiramente esquecidos de que Deus é uma pessoa, e que, por isso, devemos cultivar nossa comunhão com Ele como cultivamos nosso companheirismo com qualquer outra pessoa. É parte inerente de nossa personalidade conhecer outras personalidades, mas ninguém pode chegar a um conhecimento pleno de outrem através de um encontro apenas. Somente após uma prolongada e afetuosa convivência é que dois seres podem avaliar mutuamente sua capacidade total.
Todo contato social entre os seres humanos consiste de um reconhecimento de uma personalidade para com outra, e varia desde um esbarrão casual entre dois homens, até a comunhão mais íntima de que é capaz a alma humana. O sentimento religioso consiste, em sua essência, numa reação favorável das personalidades criadas, para com a Personalidade Criadora, Deus. “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste".
Deus é uma pessoa, e nas profundezas de Sua poderosa natureza Ele pensa, deseja, tem gozo, sente, ama, quer e sofre, como qualquer outra pessoa. Em seu relacionamento conosco, Ele se mantém fiel a esse padrão de comportamento da personalidade. Ele se comunica conosco por meio de nossa mente, vontade e emoções.
O cerne da mensagem do Novo Testamento é a comunhão entre Deus e a alma remida, manifestada em um livre e constante intercâmbio de amor e pensamento.
Esse intercâmbio, entre Deus e a alma, pode ser constatado pela percepção consciente do crente. É uma experiência pessoal, isto é, não vem através da igreja, como Corpo, mas precisa ser vivida, por cada membro. Depois, em conseqüência dele, todo o Corpo será abençoado. E é uma experiência consciente: isto é, não se situa no campo do subconsciente, nem ocorre sem a participação da alma (como, por exemplo, segundo alguns imaginam, se dá com o batismo infantil), mas é perfeitamente perceptível, de modo que o homem pode “conhecer” essa experiência, assim como pode conhecer qualquer outro fato experimental.
Nós somos em miniatura, (excetuando os nossos pecados) aquilo que Deus é em forma infinita. Tendo sido feitos a Sua imagem, temos dentro de nós a capacidade de conhecê-lO. Enquanto em pecado, falta-nos tão-somente o poder. Mas, a partir do momento em que o Espírito nos revivifica, dando-nos uma vida regenerada, todo o nosso ser passa a gozar de afinidade com Deus, mostrando-se exultante e grato. Isso é este nascer do Espírito sem o qual não podemos ver o reino de Deus. Entretanto, isso não é o fim, mas apenas o começo, pois é a partir daí que o nosso coração inicia o glorioso caminho da busca, que consiste em penetrar nas infinitas riquezas de Deus. Posso dizer que começamos neste ponto, mas digo também que homem nenhum já chegou ao final dessa exploração, pois os mistérios da Trindade são tão grandes e insondáveis que não têm limite nem fim.
Encontrar-se com o Senhor, e mesmo assim continuar a buscá-lO, é o paradoxo da alma que ama a Deus. É um sentimento desconhecido daqueles que se satisfazem com pouco, mas comprovado na experiência de alguns filhos de Deus que têm o coração abrasado. Se examinarmos a vida de grandes homens e mulheres de Deus, do passado, logo sentiremos o calor com que buscavam ao Senhor. Choravam por Ele, oravam, lutavam e buscavam-nO dia e noite, a tempo e fora do tempo, e, ao encontrá-lO, a comunhão parecia mais doce, após a longa busca. Moisés usou o fato de que conhecia a Deus como argumento para conhecê-lO ainda melhor. “Agora, pois, se achei graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber neste momento o Teu caminho, para que eu Te conheça, e ache graça aos Teus olhos” (Ex 33:13). E, partindo daí, fez um pedido ainda mais ousado: “Rogo-te que me mostres a tua glória” (Ex 33:18). Deus ficou verdadeiramente alegre com essa demonstração de ardor e, no dia seguinte, chamou Moisés ao monte, e ali, em solene cortejo, fez toda a Sua glória passar diante dele.
A vida de Davi foi uma contínua ânsia espiritual. Em todos os seus salmos ecoa o clamor de uma alma anelante, seguido pelo brado de regozijo daquele que é atendido. Paulo confessou que a mola-mestra de sua vida era o seu intenso desejo de conhecer a Cristo mais e mais. “Para O conhecer” (Fp 3:10), era o objetivo de seu viver, e para alcançar isso, sacrificou todas as outras coisas. “Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus meu Senhor: por amor do qual perdi todas as cousas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo” (Fp 3:8).
Muitos hinos evangélicos revelam este anelo da alma por Deus, embora a pessoa que canta, já saiba que o encontrou. Há apenas uma geração, nossos antepassados cantavam o hino que dizia: “Verei e seguirei o Seu caminho”; hoje não o ouvimos mais entre os cristãos. É uma tragédia que, nesta época de trevas, deixemos só para os pastores e líderes a busca de uma comunhão mais íntima com Deus. Agora, tudo se resume num ato inicial de “aceitar” a Cristo (a propósito, esta palavra não é encontrada na Bíblia), e daí por diante não se espera que o convertido almeje qualquer outra revelação de Deus para a sua alma. Estamos sendo confundidos por uma lógica espúria que argumenta que, se já encontramos o Senhor, não temos mais necessidade de buscá-lO. Esse conceito nos é apresentado como sendo o mais ortodoxo, e muitos não aceitariam a hipótese de que um crente instruído na Palavra pudesse crer de outra forma. Assim sendo, todas as palavras de testemunho da Igreja que significam adoração, busca e louvor, são friamente postas de lado. A doutrina que fala de uma experiência do coração, aceita pelo grande contingente dos santos que possuíam o bom perfume de Cristo, hoje é substituída por uma interpretação superficial das Escrituras, que sem dúvida soaria como muito estranha para Agostinho, Rutherford ou Brainerd.
Em meio a toda essa frieza existem ainda alguns — alegro-me em reconhecer — que jamais se contentarão com essa lógica superficial. Talvez até reconheçam a força do argumento, mas depois saem em lágrimas à procura de algum lugar isolado, a fim de orarem: “Ó Deus, mostra-me a tua glória”. Querem provar, ver com os olhos do íntimo, quão maravilhoso Deus é.
É meu propósito instigar nos leitores um anseio mais profundo pela presença de Deus. É justamente a ausência desse anseio que nos tem conduzido a esse baixo nível espiritual que presenciamos em nossos dias. Uma vida cristã estagnada e infrutífera é resultado da ausência de uma sede maior de comunhão com Deus. A complacência é inimigo mortal do crescimento cristão. Se não existir um desejo profundo de comunhão, não haverá manifestação de Cristo para o Seu povo. Ele espera que o procuremos. Infelizmente, no caso de muitos crentes, é em vão que essa espera se prolonga.
Cada época tem suas próprias características. Neste exato instante encontramo-nos em um período de grande complexidade religiosa. A simplicidade existente em Cristo raramente se acha entre nós. Em lugar disso, vêem-se apenas programas, métodos, organizações e um mundo de atividades animadas, que ocupam tempo e atenção, mas que jamais podem satisfazer à fome da alma. A superficialidade de nossas experiências íntimas, a forma vazia de nossa adoração, e aquela servil imitação do mundo, que caracterizam nossos métodos promocionais, tudo testifica que nós, em nossos dias, conhecemos a Deus apenas imperfeitamente, e que raramente experimentamos a Sua paz.
Se desejamos encontrar a Deus em meio a todas as exteriorizações religiosas, primeiramente temos que resolver buscá-Lo, e daí por diante prosseguir no caminho da simplicidade. Agora, como sempre o fez, Deus revela-Se aos pequeninos e se oculta daqueles que são sábios e prudentes aos seus próprios olhos. É mister que simplifiquemos nossa maneira de nos aproximar dEle. Urge que fiquemos tão-somente com o que é essencial (e felizmente, bem poucas coisas são essenciais). Devemos deixar de lado todo esforço para impressioná-lO e ir a Deus com a singeleza de coração da criança. Se agirmos dessa forma, Deus nos responderá sem demora.
Não importa o que a Igreja e as outras religiões digam. Na realidade, o que precisamos é de Deus mesmo. O hábito condenável de buscar “a Deus e” é que nos impede de encontrar ao Senhor na plenitude de Sua revelação. É no conectivo “e” que reside toda a nossa dificuldade. Se omitíssemos esse “e”, em breve acharíamos o Senhor e nEle encontraríamos aquilo por que intimamente sempre anelamos.
Não precisamos temer que, se visarmos tão-somente a comunhão com Deus, estejamos limitando nossa vida ou inibindo os impulsos naturais do coração. O oposto é que é verdade. Convém-nos perfeitamente fazer de Deus o nosso tudo, concentrando-nos nEle, e sacrificando tudo por causa dEle.
O autor do estranho e antigo clássico inglês, The Cloud of Unknowing (A nuvem do desconhecimento), dá-nos instruções de como conseguir isso. Diz ele: “Eleve seu coração a Deus num impulso de amor; busque a Ele, e não Suas bênçãos. Daí por diante, rejeite qualquer pensamento que não esteja relacionado com Deus. E assim não faça nada com sua própria capacidade, nem segundo a sua vontade, mas somente de acordo com Deus. Para Deus, esse é o mais agradável exercício espiritual”.
Em outro trecho, o mesmo autor recomenda que, em nossas orações, nos despojemos de todo o empecilho, até mesmo de nosso conhecimento teológico. “Pois lhe basta a intenção de dirigir-se a Deus, sem qualquer outro motivo além da pessoa dEle.” Não obstante, sob todos os seus pensamentos, aparece o alicerce firme da verdade neotestamentária, porquanto explica o autor que, ao referir-se a “ele”, tem em vista “Deus que o criou, resgatou, e que, em Sua graça, o chamou para aquilo que você agora é”. Este autor defende vigorosamente a simplicidade total: “Se desejamos ver a religião cristã resumida em uma única palavra, para assim compreendermos melhor o seu alcance, então tomemos uma palavra de uma sílaba ou duas. Quanto mais curta a palavra, melhor será, pois uma palavra menor está mais de acordo com a simplicidade que caracteriza toda a operação do Espírito. Tal palavra deve ser ou Deus ou Amor”.
Quando o Senhor dividiu a terra de Canaã entre as tribos de Israel, a de Levi não recebeu partilha alguma. Deus disse-lhe simplesmente: “Eu sou a tua porção e a tua herança no meio dos filhos de Israel” (Nm 18:20), e com essas palavras tornou-a mais rica que todas as suas tribos irmãs, mais rica que todos os reis e rajás que já viveram neste mundo. E em tudo isto transparece um princípio espiritual, um princípio que continua em vigor para todo sacerdote do Deus Altíssimo.
O homem, cujo tesouro é o Senhor, tem todas as coisas concentradas nEle. Outros tesouros comuns talvez lhe sejam negados, mas mesmo que lhe seja permitido desfrutar deles, o usufruto de tais coisas será tão diluído que nunca é necessário à sua felicidade. E se lhe acontecer de vê-los desaparecer, um por um, provavelmente não experimentará sensação de perda, pois conta com a fonte, com a origem de todas as coisas, em Deus, em quem encontra toda satisfação, todo prazer e todo deleite. Não se importa com a perda, já que, em realidade nada perdeu, e possui tudo em uma pessoa — Deus — de maneira pura, legítima e eterna.
Ó Deus, tenho provado da Tua bondade, e se ela me satisfaz, também aumenta minha sede de experimentar ainda mais. Estou perfeitamente consciente de que necessito de mais graça. Envergonho-me de não possuir uma fome maior. Ó Deus, ó Deus trino, quero buscar-Te mais; quero buscar apenas a Ti; tenho sede de tornar-me mais sedento ainda. Mostra-me a Tua glória, rogo-Te, para que assim possa conhecer-Te verdadeiramente. Por Tua misericórdia, começa em meu íntimo uma nova operação de amor. Diz à minha alma: “Levanta-te, querida minha, formosa minha, e vem” (Ct 2:10). E dá-me graça para que me levante e te siga, saindo deste vale escuro onde estou vagueando há tanto tempo. Em nome de Jesus. Amém.

Excertos Extraídos de À Procura de Deus
Livro "O melhor de Tozer"
A. W. Tozer

8 de fev de 2010

Pre-Vestibular

ONG Pierre Bourdieu abre novas turmas do Curso Pré-Vestibular Social - Com estudantes da UNEB ministrando aulas, iniciativa está oferecido 85 vagas (9 bolsas) voltadas para estudantes da rede pública de ensino - Inscrições: até 5/março, em Salvador

A ONG Pierre Bourdieu está com inscrições abertas para as novas turmas do Curso Pré-Vestibular Social da entidade.

Estão sendo disponibilizadas 85 vagas, voltadas para estudantes da rede pública de ensino. Desse montante, a entidade oferece nove bolsas para candidatos de baixa renda.

Os interessados podem se inscrever até o dia 5 de março, das 8h às 20h, na sede da ONG, localizada na Avenida Sete de Setembro (Campo Grande), no Centro Antigo de Salvador. A taxa de inscrição é de R$ 25.

Os candidatos inscritos vão passar por um processo seletivo, no dia 7 de março. Os interessados em concorrer às bolsas devem ser oriundos de escolas públicas e comprovar baixa renda. No ato da matrícula, nos dias 8 e 9 de março, devem estar munidos de RG e comprovante de residência. O curso tem investimento mensal de R$ 35.

Fonte: http://www.uneb.br

mais informações: clique Aqui

7 de fev de 2010

Uneb oferece 400 vagas para curso pré-vestibular e Idiomas


PRORROGADAS: até 3/março (pré-vestibular) e 4/março (idiomas), em Salvador

Estão abertas as inscrições para o curso pré-vestibular Estação Futuro, da Universidade Estadual da Bahia (Uneb). Os candidatos devem se inscrever no campus da Uneb, no bairro do Cabula, em Salvador, até o próximo dia 10. A taxa custa R$ 20 e 1 kg de alimento não-perecível.

São 400 vagas e a prova de seleção está marcada para o dia 7 de março. A mensalidade do curso é de R$ 50. Para os alunos de baixa renda serão oferecidas 50 bolsas de estudo.

Fonte: http://www.uneb.br

Informações completas: Aqui

2 de fev de 2010

A GUERRA ENTRE A IGREJA E O INFERNO

(Mt. 16: 18)

· Jesus disse que não veio trazer paz mas sim guerra. E esta guerra está declarada e é real. Ap. 12: 1 a 7.
· A igreja e o inferno são inimigos declarados. Por mais que os homens queiram fazer paz entre a igreja e o inferno, não tem jeito. Não existe paz entre um e outro e nunca haverá.
· Segundo o que Jesus falou, cabe a igreja atacar o inferno, cabe a ela invadir o inferno e saqueá-lo. Mt. 12: 22a 30.
· Se a igreja não atacar o inferno com certeza vai invadir a igreja e vai saqueá-la.

1º PARTE: A IGREJA SAQUEANDO O INFERNO

· A palavra pregada na igreja é uma das formas que há para ela saquear o inferno.
· A palavra pregada como ela é, ela traz espírito e vida para quem a ouve, fazendo com que todas as obras do inferno na vida dos que ouve caiam por terra. Jô. 6: 63.
· O poder de Deus na Sua Palavra, palavras com autoridade, palavra profética, palavra revelada é fundamental para desvendar as obras do inferno oculta na vida de quem ouve, trazendo assim a libertação. ICor. 2: 4, 5.
· A palavra acompanhada dos sinais trazendo cura libertação, sinais e prodígios, são outra arma para saquear o inferno. Sarando os enfermos, e libertando os possuídos por espíritos maliguinos.
· Vencendo assim o inferno na vida daqueles que participam dos cultos. Lc. 10: 19 , 20; Mc. 16: 15 a 18.
· A palavra de ensino, capacitada para destruir os raciocínios libertando assim quem ouve dos entendimentos maliguinos.
· A palavra de Deus em seus pensamentos é outra forma de saquear o inferno. IICor. 10: 3 a 5.
· O ensino da palavra de Deus liberta quem ouve fazendo com que ele tenha mudança de vida. Ele deixa de ser carnal e tornando-se Espiritual. Vindo assim a ter uma experiência pessoal e inesquecível co o Senhor Deus. Rm. 8: 1; I Co 2: 9 a 16.
· Os ensinos das doutrinas bíblicas levam ao arrependimento, ao batismo nas águas; a libertação e a cura pela imposição das mãos, são fundamentais na vitória da igreja contra o inferno. Hb. 6: 1,2.
· O evangelismo é a maior forma da igreja mostrar ao inferno que ela não está para brincadeira, e que as portas do inferno não vai prevalecer contra ela. Lc. 21 a 23; At. 8: 4 a 8.
· Ensinos que levem o crente a levar uma vida de jejum, oração e a ler muito a palavra de Deus é imprescindível; para libertar o crente das obras do inferno. I Ts 5: 7; Sl 119:11; Sl. 35: 13.
· Levar o crente de volta aos tempos apostólicos, tempo em que a igreja atropelava o inferno. Jr. 6: 16

2ª PARTE: O INFERNO INVADINDO A IGREJA

· O inferno possui a suas armas e os seus meios para invadir a igreja.
· _MUNDO_ Cada vez que a igreja deixa o mundo e as suas obras entrar dentro dela o inferno entra junto.
· O mundo tem que ser invadido pela igreja e não ao contrário. IJõ… 5: 19; IJõ.2: 15.
· A igreja hoje em dia vai muito atrás do Marketing, atrás das estratégias do mundo, usa os meios do mundo para encher. Quando ela deveria depender somente do Espírito Santo para fazer a obra. Jô.14: 25, 26; Is. 30:1 a 3.
· As pregações para agradar o crente, pregar o que o crente quer ouvir, isto é pregação humana, não salva e não trás mudança na vida de ninguém. Isto é o inferno dentro da igreja. Mt. 15: 8,9; Mt. 16: 6, 11,12; IICor. 4: 1,2.
· Doutrinas que não trás mudanças, que mais é um jugo pesado.
· Doutrinas que serve mais para a satisfação da carne, isto também é o inferno dentro da igreja, pois o jugo do Senhor é suave, e a doutrina do Senhor é para satisfazer o espírito. Mt. 11: 25 a 30; Cl. 2: 20 a 23.
· Culto irracional, sem a direção do Espírito Santo, onde se tem tempo para tudo e para todos, menos para a Palavra.
· A medida em que estamos tirando a Palavra do culto, estamos abrindo espaço para o inferno entrar. Mat. 4:1 a10; Hb. 4:12,13.
· Neófitos na direção, pessoas sem chamado ministeriais, Sem unção de Deus, pessoas que não foram provadas e nem aprovadas por Deus.
· Hoje se compra até unção para pastor. È Deus quem ungi e separa. À medida que pessoas ocupam estes lugares sem a unção de Deus, isto é o inferno dentro das igrejas. I Tm. 3: 1 a7; IITm.2: 15.
· Hoje as igrejas têm muitos sinais, mas estes sinais não são os sinais que a Palavra fala. Os sinais que acontece nas igrejas precisam testificar com a Palavra, se não testificar é o inferno dentro da igreja. Jô. 15: 26; ITm. 4: 1._
· A igreja não faz trabalho de cura e libertação. O trabalho agora se limita só em palavras persuasivas de sabedoria humana.
· A falta dos sinais já mostra o domínio do inferno dentro da igreja. ICor. 2: 4,5; At. 16: 16 a 18; At 14:7 a 10; Is. 28: 15; Is. 3: 12.
· As igrejas estão acomodadas, a falta de evangelismo, vigília, reunião de oração com autoridade repreendendo as obras do diabo. Tudo isto mostra que a igreja está descansando, acomodada, não quer saber de lutar com o inferno.
· O descanso e a acomodação são o inferno dentro da igreja. Zc. 11: 7 a 15; Mq. 2: !6(a).
· A falta de ensino sobre as atuações do maligno, já mostra o agir do inferno dentro da igreja.
· Pois a igreja tem a obrigação de estudar o inimigo, porque estudar o inimigo é sabedoria.
· Pois se não estudarmos podemos ser surpreendido Por ele. IPd.5: 8; Ef.6: 10 a 20;Ef. 4: 27; IICor.11: 12a 15.

AUTOR: Pr. Ev. Sérgio Lopes

18 de jan de 2010


15 de jan de 2010

S O S HAITI



Terça-feira dia 12 de Janeiro um grande terremoto devasta o país do Haiti.
Como se não bastasse as guerras de milícias e pobreza naquele País um terremoto de grande proporção, pelo menos 7.0 graus na escala Richter abalou o Haiti, uma catástrofe. O que se vê são corpos espalhados pelo chão, Falta água, a gasolina está acabando, o acesso à comida é difícil e os esforços de países do mundo inteiro parecem ser insuficientes para reduzir a crise que afeta o Haiti depois do terremoto de terça-feira.
As ruas de Porto Príncipe (Capital do Haiti) estão repletas de moradores desabrigados e famintos. Centenas de corpos estão empilhados diante do Hospital Geral da cidade e a toda hora caminhonetes trazem mais mortos. O presidente haitiano, René Préval, disse que 7 mil corpos já foram enterrados em valas comuns.
Ainda, segundos os jornais, já são mais de 300 mil pessoas desabrigadas, e as buscas por corpos ainda continua. Socorro de vários Países como a China, Estados Unidos e Brasil, entre outros, estão unindo forças para ajudar aquela população, a ONU informou que a comunidade internacional já se comprometeu a enviar US$ 268,5 milhões em auxílio às vítimas.
Muitos haitianos escavam freneticamente, apenas com as mãos, entre os esco
mbros em busca de parentes e amigos. Falta equipamento pesado para ajudar a retirar as vigas e os blocos de concreto. A estimativa de mortos varia. Alguns falam em pelo menos 30 mil, outros em mais de cem mil. A Cruz Vermelha estima em 40 mil ou 50 mil os mortos. Os corpos estão por todas as partes na capital, envoltos em lençóis ou lonas.


Mortos no Haiti podem chegar a 200 mil


O número de mortos pelo terremoto no Haiti pode chegar a 200 mil, disse nesta sexta-feira o ministro do Interior, Paul Antoine Bien-Aime, que também declarou que 50 mil corpos já foram recolhidos. Mais cedo hoje, o primeiro-ministro haitiano, Jean-Max Bellerive, em um balanço parcial afirmou que 15 mil pessoas já haviam sido enterradas.

"Nós já recolhemos cerca de 50 mil corpos e achamos que haverá entre 100 mil e 200 mil mortos no total, embora nunca saibamos o número exato", disse o ministro do Interior à agência Reuters.

O secretário de Estado para Segurança Pública do Haiti, Aramick Louis, afirmou, por sua vez, que 40 mil corpos foram enterrados e que outras 100 mil pessoas poderiam ter morrido pelo terremoto. Ele acrescentou que grupos armados estavam tomando as ruas e que o governo temia um aumento da violência.

O primeiro-ministro, em declarações à imprensa hoje à tarde, fez questão de salientar que os balanços de mortos são "extremamente parciais". "Nos contentamos simplesmente em recolher os mortos que estavam nas artérias" da cidade, acrescentou Bellerive.

Terremoto
Um terremoto de magnitude 7 na escala Richter atingiu o Haiti nessa terça-feira, às 16h53 no horário local (19h53 em Brasília). Com epicentro a 15 km da capital, Porto Príncipe, segundo o Serviço Geológico Norte-Americano, o terremoto é considerado pelo órgão o mais forte a atingir o país nos últimos 200 anos.

Dezenas de prédios da capital caíram e deixaram moradores sob escombros. Importantes edificações foram atingidas, como prédios das Nações Unidas e do governo do país. O presidente haitiano, René Préval, afirmou que pelo menos 7 mil pessoas mortas no terremoto já foram enterradas em uma vala comum. O Haiti é o país mais pobre do continente americano.

Morte de brasileiros
A fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, Organismo de Ação Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Zilda Arns, e militares brasileiros da missão de paz da ONU morreram durante o terremoto no Haiti.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, e comandantes do Exército chegaram na noite de quarta-feira à base brasileira no país para liderar os trabalhos do contingente militar brasileiro no Haiti. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil anunciou que o país enviará até US$ 15 milhões para ajudar a reconstruir o país. Além dos recursos financeiros, o Brasil doará 28 t de alimentos e água para a população do país. A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou oito aeronaves de transporte para ajudar as vítimas.

O Brasil no Haiti
O Brasil chefia a missão de paz da ONU no país (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, ou Minustah, na sigla em francês), que conta com cerca de 7 mil integrantes. Segundo o Ministério da Defesa, 1.266 militares brasileiros servem na força. Ao todo, são 1.310 brasileiros no Haiti.

A missão de paz foi criada em 2004, depois que o então presidente Jean-Bertrand Aristide foi deposto durante uma rebelião. Além do prédio da ONU, o prédio da Embaixada Brasileira em Porto Príncipe também ficou danificado, mas segundo o governo, não há vítimas entre os funcionários brasileiros.






O PROJETO ALERTA JOVEM CONVOCA TODOS, ORAR E JEJUAR PELO POVO HAITIANO

VAMOS UNIR NOSSA FORÇA EM ORAÇÃO
E PEDIR AO DEUS DE ABRAÃO, ISAQUE E JACÓ QUE AMENIZE A DOR DAQUELE POVO, E QUE SALVE AQUELA NAÇÃO. E QUE SOBREVIVENTES POSSAM SER RESGATADO
DOS ESCOMBROS. QUE DEUS TENHA PIEDADE !

SEMANA DE ORAÇÃO PELO HAITI.







video:
/div>

9 de jan de 2010


O projeto Alerta Jovem este ano promoverá uma série de realizações e eventos em Salvador. Pelo compromisso que temos com Deus, com os outros, e com nós mesmos, estaremos nos empenhado para a salvação das almas e o concerto com Deus de um viver na palavra.


Agradecemos a todos, que mostrou-nos, no ano que passou, seus esforços e contribuição de forma direta e indiretamente. E continuaremos trabalhado independentemente das dificuldades que possa vim, pois o Senhor Deus tem chamado jovens varões valorosos, e destemido para a obra.

Agora como nunca mostraremos nossa força.

nosso calendário vira repleto de atividades concernente aos jovens neste ano, fique atento e não perca nenhuma de nossas atividades.
Pois, o tempo passa e temos que dar a Deus o que Ele espera de nós, porque nossa vida toda será em vão se neste mundo não contribuirmos com Seu reino, nos céus.

"Não te mandei Eu? Esforça-te tem bom ânimo; Não te atemorize, nem te detenhas; porque o Senhor é contigo, por onde quer que andares"Js 1.9.

7 de jan de 2010

Copyleft 2008-2011 Alerta Jovem
© Outros autores
Mais ZoomMenos Zoom

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO