15 de jan de 2010

S O S HAITI



Terça-feira dia 12 de Janeiro um grande terremoto devasta o país do Haiti.
Como se não bastasse as guerras de milícias e pobreza naquele País um terremoto de grande proporção, pelo menos 7.0 graus na escala Richter abalou o Haiti, uma catástrofe. O que se vê são corpos espalhados pelo chão, Falta água, a gasolina está acabando, o acesso à comida é difícil e os esforços de países do mundo inteiro parecem ser insuficientes para reduzir a crise que afeta o Haiti depois do terremoto de terça-feira.
As ruas de Porto Príncipe (Capital do Haiti) estão repletas de moradores desabrigados e famintos. Centenas de corpos estão empilhados diante do Hospital Geral da cidade e a toda hora caminhonetes trazem mais mortos. O presidente haitiano, René Préval, disse que 7 mil corpos já foram enterrados em valas comuns.
Ainda, segundos os jornais, já são mais de 300 mil pessoas desabrigadas, e as buscas por corpos ainda continua. Socorro de vários Países como a China, Estados Unidos e Brasil, entre outros, estão unindo forças para ajudar aquela população, a ONU informou que a comunidade internacional já se comprometeu a enviar US$ 268,5 milhões em auxílio às vítimas.
Muitos haitianos escavam freneticamente, apenas com as mãos, entre os esco
mbros em busca de parentes e amigos. Falta equipamento pesado para ajudar a retirar as vigas e os blocos de concreto. A estimativa de mortos varia. Alguns falam em pelo menos 30 mil, outros em mais de cem mil. A Cruz Vermelha estima em 40 mil ou 50 mil os mortos. Os corpos estão por todas as partes na capital, envoltos em lençóis ou lonas.


Mortos no Haiti podem chegar a 200 mil


O número de mortos pelo terremoto no Haiti pode chegar a 200 mil, disse nesta sexta-feira o ministro do Interior, Paul Antoine Bien-Aime, que também declarou que 50 mil corpos já foram recolhidos. Mais cedo hoje, o primeiro-ministro haitiano, Jean-Max Bellerive, em um balanço parcial afirmou que 15 mil pessoas já haviam sido enterradas.

"Nós já recolhemos cerca de 50 mil corpos e achamos que haverá entre 100 mil e 200 mil mortos no total, embora nunca saibamos o número exato", disse o ministro do Interior à agência Reuters.

O secretário de Estado para Segurança Pública do Haiti, Aramick Louis, afirmou, por sua vez, que 40 mil corpos foram enterrados e que outras 100 mil pessoas poderiam ter morrido pelo terremoto. Ele acrescentou que grupos armados estavam tomando as ruas e que o governo temia um aumento da violência.

O primeiro-ministro, em declarações à imprensa hoje à tarde, fez questão de salientar que os balanços de mortos são "extremamente parciais". "Nos contentamos simplesmente em recolher os mortos que estavam nas artérias" da cidade, acrescentou Bellerive.

Terremoto
Um terremoto de magnitude 7 na escala Richter atingiu o Haiti nessa terça-feira, às 16h53 no horário local (19h53 em Brasília). Com epicentro a 15 km da capital, Porto Príncipe, segundo o Serviço Geológico Norte-Americano, o terremoto é considerado pelo órgão o mais forte a atingir o país nos últimos 200 anos.

Dezenas de prédios da capital caíram e deixaram moradores sob escombros. Importantes edificações foram atingidas, como prédios das Nações Unidas e do governo do país. O presidente haitiano, René Préval, afirmou que pelo menos 7 mil pessoas mortas no terremoto já foram enterradas em uma vala comum. O Haiti é o país mais pobre do continente americano.

Morte de brasileiros
A fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, Organismo de Ação Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Zilda Arns, e militares brasileiros da missão de paz da ONU morreram durante o terremoto no Haiti.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, e comandantes do Exército chegaram na noite de quarta-feira à base brasileira no país para liderar os trabalhos do contingente militar brasileiro no Haiti. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil anunciou que o país enviará até US$ 15 milhões para ajudar a reconstruir o país. Além dos recursos financeiros, o Brasil doará 28 t de alimentos e água para a população do país. A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou oito aeronaves de transporte para ajudar as vítimas.

O Brasil no Haiti
O Brasil chefia a missão de paz da ONU no país (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, ou Minustah, na sigla em francês), que conta com cerca de 7 mil integrantes. Segundo o Ministério da Defesa, 1.266 militares brasileiros servem na força. Ao todo, são 1.310 brasileiros no Haiti.

A missão de paz foi criada em 2004, depois que o então presidente Jean-Bertrand Aristide foi deposto durante uma rebelião. Além do prédio da ONU, o prédio da Embaixada Brasileira em Porto Príncipe também ficou danificado, mas segundo o governo, não há vítimas entre os funcionários brasileiros.






O PROJETO ALERTA JOVEM CONVOCA TODOS, ORAR E JEJUAR PELO POVO HAITIANO

VAMOS UNIR NOSSA FORÇA EM ORAÇÃO
E PEDIR AO DEUS DE ABRAÃO, ISAQUE E JACÓ QUE AMENIZE A DOR DAQUELE POVO, E QUE SALVE AQUELA NAÇÃO. E QUE SOBREVIVENTES POSSAM SER RESGATADO
DOS ESCOMBROS. QUE DEUS TENHA PIEDADE !

SEMANA DE ORAÇÃO PELO HAITI.







video:
/div>

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Copyleft 2008-2011 Alerta Jovem
© Outros autores
Mais ZoomMenos Zoom

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO