25 de mar de 2009

Alerta aos Jovens















Portanto, vede, irmãos, a vossa vocação, que
não são muitos os sábios, segundo a carne,nem


muitos os poderosos, nem muitos os nobres, que são chamados.
Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;
Para que nenhuma carne se glorie perante Ele.
Mas vós sois d’Ele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito, por Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção;
Para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor.
1Corítios 1.26-31

O Santo Ministério deve ser exercido por aqueles que o Senhor chamar, do contrário nunca haverá bons resultados como mostram tais exemplos no meio ministerial. Muito tem sido os prejuízos na obra do Senhor por obreiros sem vocação, ou que não valorizam a chamada do Senhor.


•Se não há possibilidade de fazer um curso mais aperfeiçoado, devemos pelo menos freqüentar um curso teológico, a fim de nos prepararmos, não cometermos erros graves e não sofrermos críticas que venham a desabonar a classes ministerial.
Cada um com uma missão diferente: A missão do apóstolo é zelar pela doutrina; dos profetas, cuidar das advertências; do evangelista, dedicar-se a evangelização. O pastor preocupa-se com o rebanho do mestre, os doutores interpretam a palavra de sabedoria de Deus.
Bom é lembrar o que a Bíblia recomenda: "Melhor ´a boa fama do que o unguënto precioso, e o dia da morte do que o dia do nascimento" (Ec. 7:1). O obreiro que dá bom testemunho é honrado por todos, caso contrário, torna-se motivo de escândalo, enfraquecendo a fé dos irmãos e servindo de pedra de tropeço para as almas que devem ser alcançadas para a salvação em Cristo Jesus.
Quando o pastor bem orientado na tarefa de guiar o rebanho, realiza um bom trabalho, os membros sentem-se animados. No entanto, quando esse pastor é substituído por um outro que não tem as mesmas características, (no que diz respeito ao preparo e ao exemplo) faz com que as ovelhas saiam a procura de outras pastagens. A esse respeito escreveu Ezequiel no capítulo 34: 6-8. "As minhas ovelhas andam desgarradas por todos os montes e por todo elevado outeiro; as minhas ovelhas andam espalhadas por toda terra, sem haver quem as procure ou quem as busque. Portanto, os pastores, ouvi a palavra do SENHOR: Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, visto que as minhas ovelhas foram entregues à rapina e se tornaram pasto para todas as feras do campo, por não haver pastor, e que os meus pastores não procuram as minhas ovelhas, pois se apascentam a si mesmos e não apascentam as minhas ovelhas". Infelizmente, muitos casos como estes estão ocorrendo, em detrimento do evangelho de Cristo.
Precisamos deixar que as pessoas nos conheçam como somos Porque há muitas barreiras contra a Bíblia, contra o evangelho e contra a igreja do Senhor. só quando as pessoas nos conhecem é que as barreiras podem ser quebradas. Só através da convivência isso será possível. Quando convivemos com as pessoas e abrimos a nossa vida, elas mesmas vão começar a perguntar como é a vida com Deus. É normal as pessoas quererem conhecer o Deus que transformou a nossa vida.
É preciso saber se as pessoas realmente entenderam a mensagem. A vida com Jesus exige uma tomada de posição. Precisamos levar as pessoas a assumirem um compromisso sério com Cristo. Mostre as implicações do Senhorio de Jesus Cristo.A busca da verdade. Há pessoas que sempre a querem saber, que fazem muitas perguntas. Nicodemos era um tipo assim. São aqueles que não dão sossego. Elas perguntam o tempo todo. é preciso paciência com essas pessoas. O obreiro precisa de sabedoria do Senhor. Essas pessoas querem investigar tudo, só depois tomam uma decisão. Quando elas encontram a verdade, a abraçam pra valer.
A busca de uma comunidade. Neste grupo estão aqueles que não tem perguntas, mas sentem-se sozinhos, precisam de convivência, de uma comunidade, amor, amizade. Se são bem recebidos na igreja, se encontra na vida da igreja o que lhes falta, são atraídos e vem a conhecer Jesus. O que atrapalha essas pessoas é serem recebidos friamente. A igreja que não consegue ganhar almas pode ser aquela que costuma ter ter "panelinhas", grupinhos separados, o visitante entra e sai e ninguém pergunta-lhe sequer o nome.
A busca de uma causa. Paulo era assim: vivia por uma causa. Há aqueles interessados no motivo pelo qual vivemos de modo diferente, no que nos leva a ter uma vida Cristã. Esta, por exemplo, é uma maneira de ganhar um markista para Cristo. Ele esta lutando por uma causa que acredita ser a maior e melhor, apresente-lhe então uma que realmente é maior e melhor que é Jesus Cristo. Essas pessoas são movidas pelo entusiasmo das pessoas por Cristo. Eles buscam uma causa para viver e morrer por elas.
O Caminho do Sofrimento. Às vezes Deus traz a pessoa através de uma experiência dolorosa, de sofrimento, para o conhecimento de Jesus. Jó, após sua experiência de sofrimento declarou: "Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem" (Jó 42:5).
Uma ação poderosa de Deus. É claro que no fim das contas, em todos os casos, há uma ação poderosa de Deus para trazer a pessoa a Jesus. Mas aqui está-se dizendo de uma intervenção visivelmente sobrenatural de Deus. Pode ser uma cura de alguém já desenganado pelos médicos ou coisa semelhante.
Desenvolva meios para alcançar pessoas para Jesus.
Temos que ser criativos, porém ser comprometer o âmago do evangelho, no desenvolvimento para alcançar pessoas para o Senhor Jesus Cristo. Busque a Deus em oração e pense em maneiras que possam quebrar as barreiras em campo de trabalho, e atrair pessoas a Cristo.
Jesus disse que temos que produzir frutos - Alcançar outros. Como está a sua vida nesse sentido? Avalie! Quantos contatos com pessoas que não conhecem a Jesus você tem? Quanto tempo você tem passado com pessoas que nada sabem sobre o Salvador? Tem aproveitado as oportunidades, as portas que se abrem para testemunhar de Jesus? Como ministros do evangelho temos que equipar o povo de Deus, mas como servos de Cristo temos que ser modelo no serviço do Reino do Senhor.
É gostosos ver as pessoas sendo salvas pelo Senhor Jesus, mas para que isso aconteça é preciso trabalho duro por parte dos servos do Senhor. "Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes." (Sl 126:6

O OBREIRO APROVADO VÊ E USA O POTENCIAL DA JUVENTUDE


Feliz é a Igreja que se preocupa com seus jovens. Bem-aventurado o ministério que acredita na força vital da mocidade e a canaliza na obra de Deus. A mocidade é uma força distinta no meio da igreja, mas não desvinculada da vida e atividade na casa de Deus. É impossível separar a mocidade da vida da igreja. O fato de haver uma organização para as atividades da mocidade não significa que ela seja um outro corpo na casa do Senhor. A igreja deve ser vista sob dois ângulos, o físico e o espiritual.
Sob o ângulo físico, é a comunidade local compostas de pessoas físicas com várias faixas de idades. Portanto, a responsabilidade de um pastor local, e porque não dizer, do ministério, é grande, pois trata quase que individualmente com as mais diferentes pessoas. para tanto o obreiro precisa ser qualificado e estar preparado para se relacionar com essas pessoas. A igreja local tem destacados grupos, entre os quais a mocidade, e todos merecem atenção pastoral. Agora, sob o ângulo espiritual, a igreja é o corpo místico, invisível e universal de nosso Senhor Jesus Cristo em toda terra.
Vem de algum tempo atrás a expressão "a mocidade é a igreja de amanhã". Porém hoje não podemos concordar com isso, pois a prática já tem mostrado que a juventude é a igreja de hoje mesmo, e sem dúvida o futuro, por isso deve ser aproveitada já.
Quando Paulo escreveu a Timóteo dizendo: "Ninguém despreze a tua mocidade" (ITm 4:12), tinha por objetivo desarmar os espíritos preconcebidos contra a utilidade dos jovens nas atividades da igreja. Timóteo era jovem, mas não era imaturo, por isso deveria receber o respeito dos mais velhos. Timóteo, era sábio, assimilava os conselhos do apóstolo experiente. É possível que alguns se sentissem incapazes de reconhecer a capacidade pastoral do jovem Timóteo, mas Paulo dignificou a posição do mesmo como pastor. Os respeitados anciãos da igreja não foram renegados à um plano inferior, nem tão pouco o jovem Timóteo foi exaltado para humilhar os mais velhos. Infelizmente, hoje em dia, muitas vezes se enfrenta este tipo de problema quando se designa um obreiro mais jovem para pastorear uma congregação em que há obreiros mais idosos. Devemos observar este exemplo bíblico e aceitar com humildade a direção do Espírito Santo que opera no ministério de uma igreja.
Paulo apenas desperta o papel importante da mocidade no seio dela. Portanto há perfeita harmonia entre a igreja e a mocidade.


O PASTOR PRECISA TER UMA VISÃO POSITIVA DA MOCIDADE

Alguns descarregam seus sermões em cima da mocidade, porque vêem apenas os aspectos negativos, sem avaliarem as causas. Precisamos muito mais ver na mocidade o seu potencial. Não pode haver bom relacionamento entre a mocidade e a igreja quando se permite apenas acusá-las. Sempre houve choque de gerações, porém, quando a igreja é conscientizada dos valores dos jovens, das suas necessidades, esse choque é abrandado pela compreensão e amor. Essa conscientização tem que partir do pastor. Ele precisa entender, conhecer e ajudar os jovens que pastoreia. É preciso ver a mocidade numa perspectiva positiva, ao invés de olhar apenas para os seus defeitos. Quando o pastor tem uma visão positiva do potencial da mocidade, sem dúvida ela será uma alavanca de força para o crescimento da igreja.
"Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor" (ICo. 15:58)






Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Copyleft 2008-2011 Alerta Jovem
© Outros autores
Mais ZoomMenos Zoom

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO